Cartolas fizeram 18 visitas à CBF desde setembro; arbitragem foi motivo principal de audiências

  A luxuosa sede da CBF na Barra da...

- 12/12/2020 11h14 | atualizado em 12 de December de 2020 as 15h31

 

A luxuosa sede da CBF na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, não parou muito nem mesmo na pandemia. Desde setembro, no retorno do futebol, dirigentes de clubes fizeram 18 visitas à CBF, em audiências agendadas. O tema principal: arbitragem.

Desde o início da gestão Rogério Caboclo – abril de 2019 -, a CBF passou a divulgar no seu site as recepções a dirigentes. Costuma resumir o encontro com tratativas a “respeito do desenvolvimento do futebol brasileiro e das competições organizadas pela CBF”. E é verdade que há discussões sobre organização de torneios, logística de jogos, entre outros temas variados. Mas… o mais requisitado é mesmo Leonardo Gaciba, chefe da Comissão Nacional de Arbitragem da CBF.

Em fim de mandato, Sergio Sette Câmara, presidente do Atlético-MG, esteve na CBF no dia 25 de novembro e foi recebido por Gaciba. Levou material com lances a serem discutidos, ouviu explicações e saiu satisfeito, apesar da contrariedade com erro na partida Corinthians 1 x 2 Atlético-MG.

– É comum que o dirigente olhe só para o umbigo dele, mas muita coisa ele (Gaciba) pondera, mostra e, claro, tem uma postura mais corporativa, o que é normal – comentou Sette Câmara, citando “traumas com Wrights e Aragões”, árbitros que apitaram jogos do Galo nos anos 1980 contra o Flamengo.

– Gaciba mostrou os áudios. E falamos do Atlético contra o Corinthians, ele reconheceu erro no pênalti do Vargas. Em outros lances tivemos opinião diferente, mas tudo sempre em alto nível. Nós todos buscamos aperfeiçoamento da arbitragem.

De GE.

Leave a Reply